10010_0_gr

Martinho, que pertence à etnia Xavante, desenvolveu o trabalho “Educação Indígena procurando dialogar com a Educação Escolar Indígena: Rob’uiwedze e niha te rob’uiwe”

O trabalho de Martinho Tsawewa foi desenvolvido na Aldeia Sangradouro, no município de General Carneiro (442 km ao leste de Cuiabá), onde ele levantou informações sobre história, educação, prática cultural e diversidade étnica. Ele ainda considerou em seu estudo elementos como observação participante, entrevistas, visitação nas aldeias, histórias de vida, notas de campo e pesquisa bibliográfica.

De acordo com o pesquisador, seu trabalho além de mostrar que o respeito aos valores pedagógicos, sociais, culturais, administrativos e econômicos dos povos indígenas é que formam uma Educação Escolar Indígena autêntica, também mostra que o equilíbrio para a organização social dos indígenas no território nacional está ligado a unificação da Educação não Indígena com a Educação Escolar Indígena.

“Entre os objetivos desse estudo, está a compreensão das múltiplas funções da educação indígena e não indígena e seus reflexos na sociedade Xavante, buscando encontrar elementos que ajudem a conciliar o encontro dessas duas visões de mundo de modo que a interculturalidade possa trazer benefícios ao povo indígena contribuindo no entendimento da diversidade étnica e nas práticas culturais que constituem a sociedade indígena”, declarou Martinho Tsawewa.

O PPGEdu/Unemat forma pesquisadores em nível de mestrado, desde 2010, capazes de analisar a realidade educacional a partir de estudos de fenômenos educativos que emergem dos contextos locais e/ou globais, relacionados às políticas educacionais, formação de professores, práticas educativas, movimentos sociais, relações étnico-raciais, indígenas e demais comunidades tradicionais, considerando aspectos econômicos, políticos, sociais e/ou culturais, cujos resultados possibilitem contribuições e intervenções no campo da Educação.