IMAGEM_NOTICIA_5

O Cine Kurumin, Mostra de Cinema Indígena, que chega à sua 5ª edição este ano, terá parte da programação no Palacete das Artes, em Salvador, de 4 a 6 de março. O evento, que conta com exibição de filmes e realização de oficinas de produção experimental de curtas em aldeias indígenas – este ano nas Kiriri e Tumbalalá -, acontece pela primeira vez na capital baiana. O Palacete das Artes exibirá 17 produções com temática indígena, entre documentários e ficção, além de promover rodas de conversa sobre “Perspectivas do cinema indígena” e “Territórios: a busca da terra sem males”

Programação Salvador

PALACETE DAS ARTES
SALVADOR | Bahia | 04 a 06 de Março de 2016

Local: Palacete das Artes. Rua da Graça, 289 – Graça. Salvador, Bahia.

Sexta-feira | 04 de março

15:00h

MA Ê DAMI XINA: JÁ ME TRANSFORMEI EM IMAGEM
Doc. | 32min. | 2008 | Direção: Zezinho Yube
Sinopse:Comentários sobre a história de um povo, feito pelos realizadores dos filmes e por seus personagens. Do tempo do contato, passando pelo cativeiro nos seringais, até o trabalho atual com o vídeo, os depoimentos dão sentido ao processo de dispersão, perda e reencontro vividos pelos Huni kui.

PINDJÔKANGÔ OICÕ DJÃ NHO MEÓKÀ – COCAR DE CANUDOS
Doc. | 1 min. | 2015 | Direção: Associaçao Mebengokre
Sinopse: Película de um minuto da série “ artesanias”.

15:30H

RODA DE CONVERSA

“Já me transformei em imagem” – Perspectivas do cinema indígena
com Takumã Kuikuro, Isael Maxacali, Patri Ferreira, Dario Yanomami, Zezinho Yube Huni Kuin, Vincent Carelli
Mediador: Taquari Pataxó

SÁBADO | 05 de março

15:00h

Ñguné Elü – O DIA EM QUE A LUA MENSTRUOU
Doc. | 2004 | 24min | Direção: Takumã Kuikuro, Maricá Kuikuro
Sinopse: Durante uma oficina de vídeo na aldeia kuikuro, no Alto Xingu, ocorre um eclipse. De repente, tudo muda. Os animais se transformam. O sangue pinga do céu como chuva. O som das flautas sagradas atravessa a escuridão. Não há mais tempo a perder. É preciso cantar e dançar. É preciso acordar o mundo novamente. Os realizadores kuikuro contam o que aconteceu nesse dia, o dia em que a lua menstruou.

ETE LONDRES – LONDRES COMO UMA ALDEIA
Doc. | 30 min. | 2016 | Direção: Takumã Kuikuro
Sinopse: Ete Londres segue a viagem feita pelo cineasta Indígena Takumã Kuikuro ao coração de uma das cidades mais movimentadas do mundo: Londres. Deixando por um mês sua família e povo no Parque Indígena do Xingu, no Brasil central, Takumã desembarca na Europa com uma câmera nas mãos, a paixão pelo registro visual e o desejo de explorar as similaridades e diferenças entre sua cultura e a dos Hiper-brancos, termo usado pelos Kuikuro para designar os não-brasileiros. Um documentário bem humorado e antropológico sobre a sociedade ocidental e suas muitas tribos escondidas sob os arranha-céus.

[Sessão com a presença do diretor Takumã Kuikuro]

16:30h

O RETORNO DA TERRA
Doc. | 25min. | 2015 | Direção: Daniela Alarcon
Sinopse: Os Tupinambá aguardam há dez anos a conclusão do processo de demarcação de sua terra e vêm tendo seus direitos sistematicamente violados, tanto pelo Estado brasileiro,como por indivíduos e grupos contrários à regularização de seu território. Com o filme, pretendemos dar visibilidade ao conflito e contribuir para pressionar o Estado brasileiro para que conclua, com urgência, o processo de demarcação da Terra Indígena Tupinambá de Olivença, garantindo os direitos de índios e não índios.

RETOMADA
Doc. | 16 min. | 2015 | Direção: Leon Sampaio
Sinopse: Primeiro povo a fazer contato com os Portugueses no Brasil, os Tupinambá lutam atualmente pelas terras que os fazendeiros tomaram no início do século passado. O filme investiga o processo de resistência dos Índios Da serra do Padeiro, território liderado pelo Cacique Babau. Desde que babau virou cacique, os índios retomaram mais de cinquenta fazendas e lutam dia a dia pela sobrevivência.

NO CAMINHO COM MÁRIO
Doc. | 20min. | 2014 | Direção: Aldo Ferreira, Ariel Ortega, Leo Ortega, Patricia Ferreira, Ralf Ortega
Sinopse: Na Aldeia de Koenju, no Rio Grande do Sul, o jovem Mário tira onda com os desafios da realidade Mbya-Guarani de hoje.

CORDILHEIRA DE AMORA II
Doc. | 12 min. | 2015 | Direção: Jamille Fortunato
Sinopse: Sentindo-se sozinha em sua nova casa, Kariane Martines cria um mundo encantado no seu quintal cheio de sonhos e brincadeiras. ͆Cordilheira de Amora II͇ é uma viagem lúdica através do imaginário de uma indiazinha Guarani Kaiowa de 8 anos, que vive na Aldeia Amambai, no Mato Grosso do Sul, próximo a fronteira com o Paraguay.

18:00H

RODA DE CONVERSA “Territórios: a busca da terra sem males”, com Jaborandy Tupinambá, Ariel Ortega Guarani.

 

DOMINGO | 6 de março

15:00h

VAMOS BRINCAR?
Doc. | 5min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: Vídeo realizado com as crianças do povo Huni Kuĩ da Terra Indígena Kaxinawa do Rio Humaitá

COMO FAZER ARCO E FLECHA
Doc. | 4 min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: As crianças huni kuĩn da Terra Indígena Kaxinawá do Rio Humaitá mostram como se brinca.

DIA DE PESCA E DE PESCADOR
Doc. | 5min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: Venha ver a pescaria das crianças huni kuĩ.

KATXA NAWA FESTA DA FERTILIDADE
Doc. | 6 min. | 2015 | Direção: Mari Corrêa
Sinopse: Pintura com urucum e jenipapo, festa para a fertilidade das plantas… As crianças Huni Kuĩ do Acre mostram o jeito de fazer e celebrar a vida.

Prîara Jõ, DEPOIS DO OVO, A GUERRA
Doc.| 15 min. | 2008 | Direção: Komoi Panará
Sinopse: As crianças Panará apresentam seu universo em dia de brincadeira na aldeia. O tempo da guerra acabou, mas ainda continua vivo no imaginário das crianças.

A HISTÓRIA DO MONSTRO KÁPTY
Fic. | 4min. | 2009 | Direção: Kamikia Kisêdjê
Sinopse: Em “A história do monstro Kátpy”, os índios Kisêdjê, da Aldeia Ngôjwêrê no Mato Grosso, encenam e filmam a lenda do índio feio que ameaça os caçadores na mata.

18:00H

YAMIY
Doc. | 15 min. | 2011 | Direção: Isael Maxakali
Sinopse: Os yamiys são espíritos do panteão maxakali. Eles são vários; virtualmente infinitos. E todos se conectam por uma metamorfose que os faz passar de um a outro. Serie, o yamiy é um devir mutante. A sua sequência é uma das formas de que os tikmû’û (maxakali) se servem para contar suas historias.

CASA DOS ESPÍRITOS / WATORIKI XAPIRIPË YANOPË
Doc. | 24 min. | 2010 | Direção: Morzaniel Iramari e Dário Kopenawa
Sinopse: Os mais velhos reforçam a importância da tradição e garantem sua perpetuação, para que os Yanomami não deixem suas aldeias para se tornarem brancos. As crianças acompanham tudo de perto, participam das caçadas, preparam caiçuma e açaí para um grande encontro, aprendendo a ser Yanomami.

[Sessão com a presença dos diretores Isael Maxacali e Dário Kopenawa]