Aula inaugural do Curso de aperfeiçoamento em Educação Popular em Saúde – Crédito: Secom/Clodoaldo Ribeiro

A Secretaria Municipal de Saúde de Ilhéus realizou aula inaugural do Curso de aperfeiçoamento em Educação Popular em Saúde, nesta quarta-feira (19), na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, localizada na Avenida Soares Lopes. Dirigido aos agentes de endemias e de saúde, líderes comunitários e estudantes, o EdPop SUS é uma parceria do município com a Escola de Saúde Pública do Estado e a Fiocruz. O objetivo do curso é aperfeiçoar e dinamizar os processos de aprendizagem daqueles que estão em contato direto com a população. “Os movimentos sociais de base popular têm um importante papel na luta pelo direito à saúde e na consolidação do Sistema Único de Saúde. Estamos iniciando este projeto em Ilhéus, a fim de fortalecer o processo de práticas e saberes, ancorado no diálogo, participação e valorização do saber individual e coletivo”, enfatizou o secretário municipal de Saúde, Geraldo Magela.

A enfermeira e educadora popular, Dayse Santos, falou sobre a importância de cursos como este para a população e pontuou que a motivação partiu do desejo de oportunizar esse encontro com base no saber popular, aliado ao saber científico. “Para, a partir daí, fortalecer os processos de saúde, sobretudo nas unidades da atenção básica de Ilhéus”, completou.

Compartilhamento – Para a assistente social e educadora popular, Graça Mendes, o curso propõe reorganizar o fluxo de uma população que estava esquecida. E Gildean Santana, morador e representante do Alto do Coqueiro, pontuou a oportunidade de compartilhamento do aprendizado.

Heleny Chaves, Agente de Endemias, considerou o curso como uma porta para novos e necessários conhecimentos. “Oportunidade para fazemos a junção de conhecimentos e entramos em um denominador comum para podermos de fato ajudar a comunidade”.

O agente comunitário Pedro da Silva, que atua na Avenida Princesa Isabel, destacou que há muito não via o engajamento do governo na educação popular. “Trabalho na prefeitura há mais de 20 anos, e nunca vi um secretário de saúde envolvido em curso preparatório como esse”, relatou