A Secretária Julieta Palmeira e o Prefeito Agnelo Santos, descerra placa de inaugural do CRAM. Fotos: Edson Ruiz /SPM.

A Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres (SPM-BA) inaugurou, na sexta-feira (14), às 14h30, o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) de Santa Cruza Cabrália, o primeiro do país destinado ao atendimento prioritário de mulheres indígenas. O CRAM funcionará na sede da Secretaria Municipal de Ação Social, e sobre a coordenação da indígena Kandara Pataxó. O governo do Estado forneceu todos os equipamentos e carro, além de capacitação para os profissionais que atuarão na unidade. E a Prefeitura Municipal se responsabiliza pela manutenção do imóvel e custo com o pagamento de funcionários. A instalação do CRAM é fruto de Emenda Parlamentar, por meio de convênio federal firmado entre a SPM-BA e a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, que terá como coordenadora a indígena Kandara Pataxó.

O CRAM tem como objetivo oferecer atendimento e aconselhamento psicológico, social, de orientação e encaminhamento jurídico às mulheres em situação de violência doméstica e familiar, além de defender a responsabilização dos agressores, diagnosticar o contexto em que a violência se insere e identificar o tipo de violência praticada (física, psicológica, patrimonial, sexual). São atribuições também do centro desenvolver atividades de prevenção por meio da realização de oficinas e palestras e promover a qualificação de profissionais que atuam na rede de atenção.

 

Indígenas celebram com danças o novo espaço de proteção para mulheres.

População feminina

A população feminina de Cabrália é estimada em aproximadamente 13 mil mulheres, segundo o Censo 2010 do IBGE. O município ocupa a 60ª posição no país em número de homicídio de mulheres (por 100 mil habitantes), segundo o Mapa da Violência 2015. Na Bahia, o município está na 12ª posição.

 

A Secretaria se emociona e agradece pela homenagem feita pelos indígenas em agradecimento ao CRAM

Segundo o IBGE, a Bahia é o estado que concentra a maior população indígena do Nordeste, sendo que 15% dessa população reside no município de Santa Cruz Cabrália. Com a inauguração do CRAM, as residentes no município já dispõem de um local especializado para o atendimento às mulheres em situação de violência. O CRAM estar aberto a todas as mulheres, com prioridade para as mulheres indígenas.

Julieta Palmeira, acompanhada pela coordenadora Kandara Pataxó, visita as instalações interna do CRAM

Mulheres indígenas prestam homenagem a secretaria