Tomé de Sousa, o primeiro governador-geral do Brasil, em gravura do século XIX. Uso amparado pela Lei 9610/98

POR POLÍTICA LIVRE – A Câmara de Vereadores de Salvador criará uma comissão especial para agilizar as tratativas para transferência dos restos mortais do primeiro governador-geral do Brasil, Thomé de Souza, que estão depositados em um antigo mosteiro da cidade de Vila Franca de Xira, em Portugal, para Salvador (BA). A decisão foi tomada pelo presidente da Casa, vereador Geraldo Júnior (SD), em reunião com o deputado federal Antonio Brito (PSD), o advogado Ademir Ismerim, responsável por colegiado semelhante criada pelo Executivo municipal, e os vereadores Edvaldo Brito (PSD) e Henrique Carballal (PV). Durante o encontro foi feita uma conferência por telefone com o ministro Carlos Perez, diretor do Departamento da Europa no Itamaraty, quando foi manifestada a disposição da Câmara de Salvador em adotar todas as providências necessárias para concretizar a transferência.

Mosteiro onde estão enterrados os restos mortais de Tomé de Sousa – Reprodução Uol

Fundador da capital baiana, Thomé de Souza não é considerado herói nacional em Portugal e não tem descendentes vivos. A iniciativa, segundo Geraldo Júnior, vai marcar a história de Salvador. A ideia é prestar a Thomé de Souza “a homenagem que ele merece da nossa cidade”, um enterro simbólico com todas as honras políticas, religiosas, civis e militares.
Os restos mortais poderão ser depositados na estátua já existente na Praça Thomé de Souza (Praça Municipal), em frente ao Paço Municipal e ao Palácio Thomé de Souza, sede da prefeitura.