A secretaria Fabya Reis, disse que a iniciativa é uma oportunidade para reconhecer a contribuição significativa feita pelos afrodescendentes às nossas sociedades.

Com objetivo de estimular projetos para o reconhecimento, desenvolvimento social e garantia
de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais dos povos negros, o governador Rui
Costa formalizou, na manhã desta terça-feira (18), os termos de parceria do Edital da Década
Afrodescendente, com 44 organizações sociais da Bahia. A chamada pública, coordenada pela
Secretaria de Promoção da igualdade Racial (Sepromi), tem investimento de R$ 2,4 milhões e
deverá abranger 23 municípios de 12 territórios. O evento foi realizado no Salão de Atos da
Governadoria, em Salvador.“Tenho determinado às secretarias e órgãos que as ações devem ser transversais. Mesmo uma
empresa de abastecimento de água, como a Embasa ou a Cerb, pode ter um olhar transversal
de reparação para as comunidades negras e quilombolas, que foram excluídas durante
décadas ou séculos do abastecimento de água, por exemplo. A Sepromi, nesse sentindo, tem o
papel de articular e garantir essa transversalidade”, explicou o governador.
Para a titular da Sepromi, Fabya Reis, a iniciativa é uma oportunidade para reconhecer a
contribuição significativa feita pelos afrodescendentes às nossas sociedades. “ Esse edital
estimula projetos que vão alimentar e valorizar nossa herança e nossa cultura
afrodescendente, que é o objetivo desse governo. É também uma chance de propor ações

inclusivas e de combater todas as formas de xenofobia, racismo e qualquer tipo de
discriminação e intolerância relacionada", destacou.
Além de representantes de secretarias estaduais e órgãos públicos, o evento contou com a
presença de prefeitos, membros de entidades sociais e blocos afro, além de lideranças do
movimento negro.
Premiação
A solenidade também foi marcada pela entrega do Prêmio Melhores Práticas de Gestão de
Políticas de Promoção da Igualdade Racial, destinado aos municípios que desenvolvem ações
exitosas voltadas à população negra, aos povos e comunidades tradicionais. Nesta edição, o
prêmio contempla as cidades de Queimadas, Vitória da Conquista e Porto Seguro.
Ainda durante o evento foram entregues equipamentos de informática e mobiliários para 30
municípios de diversos territórios.

Da Redação