WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ponte pontal ilheus secom bahia

setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago   out »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


:: 23/set/2019 . 8:26

A A CARTAZ AUDIÊNCIA CAMPINHO 2

A tiros: Base de proteção a índios isolados na Amazônia volta a ser atacada

BASE
Reportagem de Rubens Valente na Folha de S.Paulo informa que a principal base da Funai (Fundação Nacional do Índio) de proteção a indígenas isolados em um santuário ecológico na Amazônia, o Vale do Javari, voltou a ser atacada a tiros na madrugada deste sábado (21). Os indígenas já falam em perda de controle e situação “insustentável”. Um grupo estimado em cinco invasores foi surpreendido quando tentava invadir a terra indígena e respondeu com disparos na direção da base no rio Ituí, no Amazonas. Eles conseguiram fugir pelo rio e ninguém ficou ferido na base, onde estavam indígenas e servidores da Funai. :: LEIA MAIS »

Moro nomeia para Funai diretor que considera ‘absurdo’ demarcar terras indígenas

moro

Consultor legislativo, Fernando Carlos Rocha assumirá Diretoria de Administração e Gestão da Funai; Bolsonaro também critica demarcação
O consultor legislativo Fernando Carlos Rocha foi nomeado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, como novo diretor de Administração e Gestão da Fundação Nacional do Índio (Funai).
Em 2014, Rocha produziu um estudo chamado “Amazônia – As batalhas perdidas de uma guerra invisível” no qual disse ser “evidente absurdo” atribuir à Funai a demarcação de terras indígenas. :: LEIA MAIS »

Jovem ativista indígena brasileira participa da Cúpula do Clima da ONU

Artemisa em frente ao Congresso dos Estados Unidos — Foto: Divulgação

Uma das participantes mais entusiasmadas da Cúpula da Juventude pelo Clima – o evento que abre a Cúpula do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada de 21 a 23 de setembro – é a brasileira Artemisa Barbosa Ribeiro, também conhecida como Artemisa Xakriabá.

Cúpula começa com discussão sobre papel dos jovens no futuro do planeta

“Meu entusiasmo é pelo que vim fazer aqui, que é lutar pela existência não só do meu povo, mas de todo mundo. Nova York é uma cidade bonita, que há até pouco tempo eu nem sabia que existia. O importante é estarmos aqui para unir forças. Nossas vozes têm de ser ouvidas”, diz a ativista de 19 anos.
O Brasil não foi selecionado para fazer pronunciamento durante a cúpula. Na quinta (19), a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, somente foram escolhidos países com propostas mais ambiciosas e avanços na redução dos efeitos das mudanças climáticas. Para Artemisa, a exclusão do Brasil é mais uma prova de que o país, mais do que nunca, está aquém no que diz respeito ao meio ambiente.
“Afinal, de um modo geral, o Brasil sempre foi uma referência nas políticas ambientais, apesar nós, povos indígenas, termos nossas reflexões sobre essas políticas”, lembra Artemisa.

Fungo dizima plantações de bananas pelo mundo

BANANA2
por Ricardo Ampudia | Folhapress

A banana, uma das frutas mais consumidas do mundo, está sob a ameaça da expansão global de uma nova variedade do Mal-do-Panamá –um tipo de fungo cientificamente batizado de Fusarium oxysporum, cujos estudos identificaram a existência de quatro raças.

Segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), esse fungo pode contaminar mais de 80% das espécies de bananas cultivadas no mundo e seu poder de destruição é tal que pode levar à perda de 100% do campo cultivado.

O fungo se hospeda no solo e é extremamente persistente, sobrevivendo por até 30 anos. As bananeiras infectadas sofrem o amarelamento das folhas, murcham e morrem –daí um dos apelidos da doença ser murcha de Fusarium. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia