ROBSON

Procuradoria do DF solicitou inquérito sobre denúncia contra Robson Santos da Silva

A Procuradoria da República no Distrito Federal solicitou à Polícia Federal (PF) a abertura de inquérito para apurar a denúncia de que o secretário especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva, continuou trabalhando na sede da pasta depois de contrair o novo coronavírus

O pedido foi feito na última segunda-feira e também mira o chefe de gabinete do secretário, Paulo Henrique Lima Brito. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), se a denúncia for comprovada, os investigados podem responder por crime contra a saúde pública.Para o órgão, a conduta dos dois, que trabalhavam na sede do Ministério da Saúde, pode ter exposto inúmeras pessoas ao contágio, infringindo as orientações de isolamento social para conter o avanço da covid-19. O MPF diz ainda que gravidade do caso está ligada à fragilidade da saúde indígena em relação a doenças respiratórias.

O prazo de conclusão do inquérito na Polícia Federal é de 90 dias, que pode ser prorrogado. Procurado pela reportagem, Santos da Silva ainda não se manifestou.

*Isadora Peron e Luísa Martins, Valor — Brasília