WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia



junho 2018
D S T Q Q S S
« mai    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


:: ‘_destaque1’

Em Carta aberta, extrativistas da Resex de Canavieiras rebatem campanha difamatória

Indígenas do Mupoiba em defesa em defesa dos extrativistas da Resex de Canavieiras, que rebatem campanha difamatória

Uma campanha difamatória tem ameaçado a permanência da Resex de Canavieiras, localizada entre os municípios de Canavieiras, Una e Belmonte, no sul da Bahia. O episódio mais recente foi motivado pela publicação do Acordo de Gestão da reserva, no dia 12 de abril desse ano, pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Desde então, setores que se opõem a Resex iniciaram uma campanha difamatória, deturpando o conteúdo do Acordo de Gestão e inflamando a população local para se opor à Reserva Extrativista. :: LEIA MAIS »

Exposição nos EUA mostra a inovação tecnológica que vem dos índios

Espaço interativo no museu Smithsonian explora a ressonância da inventividade dos nativos da América na modernidade

O conceito de inovação, tão vital para a matemática moderna, já era compreendido pela civilização maia, uma das primeiras a usá-la. Mas esta não foi a única inovação dos povos indígenas. Imagine os óculos de neve. O chocolate. Ou as pontes suspensas. Ou até o tênis. “Os povos nativos não inventaram o Chuck Taylor”, disse Duane Blue Spruce, gerente de projetos do Museu Nacional do Índio americano, da Smithsonian, referindo-se ao clássico tênis. “Mas somos responsáveis pelo processo químico de criação da borracha”, ele acrescentou. :: LEIA MAIS »

Direito indígena: Em encontro inédito, indígenas debatem racismo no Recôncavo da Bahia

aaaaaa

O “índio” enquanto o Outro foi atirado num espaço de antítese às ideias de civilização, progresso, tecnologia, ciência, educação e moral

Cachoeira, bela cidade no Recôncavo da Bahia, palco das lutas históricas do povo negro pela liberdade, território sagrado dos quilombos e dos terreiros, recebe esta semana indígenas de todo o Brasil para um encontro inédito para debater o racismo contra os povos indígenas. :: LEIA MAIS »

BA: Mutirão de “Saúde Bucal Indígena” foi realizado em Olivença

saude indigena 02

Mais 800 indígenas foram beneficiados no mutirão

Teve inicio no último dia 04, no colégio Estadual indígena Tupinambá de Olivença em Ilhéus, o Mutirão “Saúde Bucal Indígena”, que atendeu mais de 800 indígenas,  com cerca de quatro mil procedimentos, entre eles,  obturação, extração,  limpeza, encaminhamentos para tratamento de canal, dentre outros serviços.

O presidente do Conselho Local de Saúde, Cacique Gildo Amaral,  e seu Vice, o Cacique Sival Magalhães (Sussuarana).

 

A ação aconteceu em uma parceria entre conselho local de saúde do povo tupinambá de Olivença, Dsei- BA e Polo Base de Ilhéus, com o apoio dos odontólogos e dos profissionais de saúde,  dentre eles os agentes de saúde indígena e os demais profissionais da aréa. A ação durou 5 dias e foi um grande sucesso, como destacou e agradeceu o presidente do conselho, Gildo Amaral, sempre acompanhado do seu Vice,  o Cacique Sival Magalhães (Sussuarana), pelo sucesso do mutirão de odontologia.

Luto: Morre Dona Nivalda, guerreira do povo Tupinambá

D. NIVALDA

No domingo (29), em Ilhéus, faleceu aos 86 anos, Dona Nivalda Amaral de Jesus, anciã do povo tupinambá,. O sepultamento aconteceu na segunda-feira (30), no Cemitério de Nossa Senhora da Escada, em Olivença.

Mãe da Cacique Maria Valdelice, a primeira cacique Tupinambá de Olivença, em Ilhéus, católica, Dona Nivalda, foi fundadora da Pastoral da Criança, nas comunidades de Olivença, onde prestou um grande trabalho, e tinha a preocupação não só de reduzir a mortalidade infantil e a desnutrição, mas também de promover a paz nas famílias e comunidades. Liderança do movimento do Tupinambá, atuava voluntariamente na educação e saúde, era parteira, e muito querida, Nivalda, ao longo de sua caminhada pelas comunidades, foi quem mais promoveu batizados, e que mais tinha afilhados e afilhadas. :: LEIA MAIS »

Afonso Florence visita indígenas Tupinambá no sul da Bahia

Deputado Afonso Florence, na Aldeia Serra do Padeiro, acompanhado do deputado estadual Bira Coroa. Foto: Assessoria

O deputado federal Afonso Florence (PT) ao lado do deputado estadual Bira Corôa visitou, neste final de semana, os indígenas Tupinambás da Aldeia Serra do Padeiro, município de Buerarema,  e Aldeia Itapuã,  em Olivença,  ambos localizados no  sul da Bahia. Durante a visita, o parlamentar dialogou com o cacique Babau e demais lideranças indígenas. “Reforço o meu compromisso com os povos indígenas e comunidades tradicionais”, afirma Florence.                          Cacique Babau, destacou o papel do  deputado Afonso Florence na defesa das lutas indígenas como a demarcação de terras e demais garantia de direitos. Na visita à comunidade de Olivença, a Cacique Valdelice, índio Taguari e demais lideranças homenageou Florence.“Este é um representante legitimo que luta pelas nossas causas, nos representa”, disse Valdelice

PR: Educação vai regulamentar oferta da língua indígena

Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Colégio Estadual RIo das Ostras em Nova Laranjeiras. Foto: Hedeson Alves/SEED

Regulamentação vai beneficiar 603 estudantes caingangues e guaranis matriculados em escolas estaduais e municipais não indígenas. Governo do Paraná construiu 13 novas escolas indígenas em diferentes regiões do Estado, que oferecem ensino bilíngue.

A Secretaria de Estado da Educação, por meio da Coordenação de Educação do Campo, Indígena e Cigana regulamentará a oferta da Língua Indígena nas comunidades que não possuem escola regular. Os alunos terão suas matrículas e históricos escolares registrados em uma escola base indígena próxima à comunidade em que vivem.  O projeto foi aprovado pelo Conselho Estadual de Educação por meio do Parecer nº 28/18. :: LEIA MAIS »

BA: Escola Estadual Indígena kiriri promoverá atividades Culturais ao 19 de Abril

Para celebrar o Dia no Índio, comemorado nesta quinta (19), a Estadual Indígena dos Kiriri “Índio Feliz”, do alto da Jurema na aldeia Indígena Cajazeira, município de Banzaê na Bahia. Com atividades diferenciadas que buscam valorizar e preservar alguns costumes indígenas, acontecerão em vários espaços da escola,  e conta com o total apoio da comunidade indígena da aldeia, bem como do corpo docente da escola.

:: LEIA MAIS »

RJ: Indígenas se reúnem em evento no Parque Lage

Índios dançam e cantam no Parque, no rio de Janeiro Fotos: Guilherme Pinto

O Parque Lage, no Jardim Botânico, Rio de Janeiro, se transformou em uma grande aldeia, neste final de semana. Indígenas de diferentes etnias estão reunidos no local para abrir as comemorações do Dia do Índio – festejado na próxima quinta-feira (19). O evento – que se estende durante esse domingo, das 9h às 17h – é realizado pela Associação Indígena Aldeia Maracanã (AIAM) em parceria com a Secretaria de Cultura e a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV). :: LEIA MAIS »

Estudantes indígenas vão a escolas para falar de suas lutas e cultura

Estudante universitária da UFSCar, Rosangela afirma que é cada vez maior o número de indígenas nas universidades . Foto Divulgação

Com a proximidade do 19 de abril, o Dia do Índio, as escolas e a mídia em geral voltam seus olhares aos indígenas, mas reproduzindo em muitos casos as visões do “homem branco” sobre esses povos. A começar pelos termos “índios” e “indígenas”, que tentam dar uma unidade a algo distinto, já que há atualmente 304 etnias diferentes e cerca de 280 dialetos. Se alguma coisa os une, é a visão de mundo. Para esses povos, a terra não lhes pertence, pelo contrário, eles é que pertencem à terra. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia