WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

augustao pm ilheus

outubro 2022
D S T Q Q S S
« set    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


:: ‘_destaque1’

MA: Aprovada a Lei que cria selo de qualidade artesanal indígena

 ARTESANATO
Artesanato produzidos pelos Tupinambás de Olivença, aguardam Também a aprovação do selo estadual. Foto: Janaína Soares Alves.

O selo garante que o produto é artesanal, com qualidade adequada e ecologicamente correta, e do Maranhão.

A Lei de N° 11.820/2022, que cria o Selo de Qualidade e Autenticidade Artesanal Indígena é sancionada no Maranhão, que garante a identificação de origem étnica do produto, seguindo os princípios de sustentabilidade ambiental, responsabilidade social, valorização da cultura e da produção indígena. :: LEIA MAIS »

Ianomâmis agora são professores de língua indígena no Amazonas

FFFF

Turma se formou em ensino superior no município mais indígena do Brasil.

Um grupo de 42 ianomâmis são agora professores de língua indígena no Amazonas. Eles colaram pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

O evento ocorreu, dia 20, no município de São Gabriel da Cachoeira, que se considera o mais indígena do Brasil, composto por 23 etnias

:: LEIA MAIS »

ILHÉUS: CÂMARA APROVA PROJETO DE LEI QUE CRIA A CATEGORIA ESCOLA INDÍGENA

O vereador indígena Cláudio Magalhães, celebrou o momento com os edis e lideranças indígenas

A Câmara de Vereadores de Ilhéus aprovou, por unanimidade, nesta quarta-feira, dia 10, o Projeto de Lei que fixa normas e procedimentos para criar a categoria de Escola Indígena, na Educação Infantil e Básica, localizada na comunidade Tupinambá de Olivença, integrada ao sistema municipal de ensino. A proposta apresentada é de autoria dos edis Enilda Mendonça e Cláudio Magalhães (PCdoB).

Para Cláudio Magalhães esse momento culmina com mais de 10 anos de trabalho incessante, principalmente dos professores. “Que traz também esse olhar da minha tia, Nivalda Amotara, de ver uma possibilidade melhor para crianças indígenas, que foram relegadas muito tempo a segregação e invisibilidade. Os professores e caciques aqui presentes construíram essa possibilidade de tratar com o Conselho Municipal de Educação, por mais de cinco anos, essa proposta”, destacou. :: LEIA MAIS »

II Ciclos Amazônia 4.0 – ancestralidade indígena e sua relação com as mudanças climáticas

RIOS NA AMAZONIA

Dois dias de debates inteiramente dedicados à questão da mulher indígena e os impactos gerados pelas mudanças climáticas e as possibilidades de valorização das florestas para a Bioeconomia

O Instituto Amazônia 4.0 em parceria com a União das Mulheres Indígenas da Amazônia Brasileira (UMIAB) está realizando a segunda edição do evento Ciclos Amazônia 4.0.

O evento acontece nos dias 8 e 9 de agosto em Manaus e tem como objetivo a construção participativa de soluções e vivências para a estruturação de estratégias de desenvolvimento com conservação da floresta e mitigação das mudanças climáticas a partir da perspectiva ancestral das comunidades tradicionais.

:: LEIA MAIS »

AÇÃO BAHIA: Aldeia Igalha ganha mudas de essências florestais

O Instituto dos Povos Indígenas da Bahia, realiza ações efetivas em defesa do meio ambiente, em parceria com a Ação Tupinambá de Olivença.

O Instituto dos Povos Indígenas da Bahia(Ação Bahia), informa que os Tupinambás de Olivença, foram contemplados com mudas de essências florestais nativas da Mata Atlântica e variedades frutíferas para a comunidade indígena de Olivença, em Ilhéus no Sul da Bahia. A Ação Bahia desenvolve várias atividades em parceria com a Ação Tupinambá em defesa do meio ambiente, realizando Seminários, palestras e o replantio de mudas nativas da Mata Atlântica.

Foi com alegria que o pré-candidato a deputado federal (PCdoB), Wenceslau Júnior, recebeu a notícia sobre a doação de 7 mil mudas de essências florestais nativas da Mata Atlântica e variedades frutíferas para a comunidade indígena da Aldeia Igalha, em Olivença feita pela empresa Bahiagás. “Vai contribuir para a recomposição da mata ciliar e nascente do Rio Tororomba, além de beneficiar a Comunidade Indígena Tupinambá da Aldeia Igalha”, comemorou. :: LEIA MAIS »

Pará pode ter primeira deputada federal indígena

A pré-candidatura de Nice Tupinambá foi lançada dia (25), em Belém

A comunicadora pretende levantar na campanha bandeiras como a preservação da natureza e a luta contra a “política de destruição da Amazônia e de seus povos” (Fernando Sette)

Foi lançada, no último sábado (25), em Belém, pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol), a pré-candidatura da indígena Nice Tupinambá ao cargo de deputada federal. Essa é a primeira candidatura de uma mulher indígena do Pará à Câmara dos Deputados no Estado. :: LEIA MAIS »

BA: Jogos Indígenas Estudantil Tupinambá acontecerão em julho

KKKKKKKKKKKKK

Os Jogos Indígenas Estudantil Tupinambá acontecerão em Ilhéus na Bahia

O VII Jogos Indígenas Estudantil Tupinambá serão realizados de 18 á 24 de Julho, na Aldeia mãe, Território Tupinambá de Olivença em Ilhéus. O evento é multiesportivo, promovido por  lideranças indígenas denominados de “Grupo de Jovens Tupinambá Paranã”, das comunidades Tupinambá de Olivença daquele município, já em sua sétima edição. :: LEIA MAIS »

Estilista indígena Dayana Molina cria vestido para o MET Gala

MOLINA

Moda decolonial: conheça a estilista indígena Dayana Molina – (crédito: Arquivo pessoal)

Dayana Molina é uma estilista indígena que luta pela descolonização e representatividade na moda. Ela criou um vestido intitulado “Útero de Abya Yala” para o Met Gala.

Moda é um ato político. É com essa percepção que a estilista indígena Dayana Molina norteia o trabalho dela no ramo há 14 anos. Descendente das etnias fulni-ô e aymará, Dayana se inspira na ancestralidade indígena para criar peças e pensar a moda sob uma perspectiva decolonial. :: LEIA MAIS »

Mulheres indígenas organizam evento no 18ª Acampamento Terra Livre (ATL)

MULHER INDIGENA

Lideranças indígenas de diversos territórios e biomas protestam contra projetos que violam os direitos dos povos originários

Com o lema ‘Nossas Vozes Ancestrais Retomando o Brasil: Demarcar Territórios e Aldear a Política’, mulheres indígenas marcam presença no quinto dia do 18ª Acampamento Terra Livre (ATL) 2022, nesta sexta-feira(8). O evento também foi um momento  para elas compartilharem suas lutas, saberes e estratégias política. :: LEIA MAIS »

MST e Apib constroem cozinha unitária para 7 mil indígenas em Brasília

COMIDA MST

Ao lado da plenária do 18° Acampamento Terra Livre é possível ouvir o barulho das panelas batendo, facas cortando e ver os carregamentos que chegam a todo momento. O calor dos fogões em pleno vapor espalha um aroma de comida farta e saborosa. O alimento por aqui tem história e sabor de luta. Não é para qualquer um a missão de saciar a fome dos mais de 7 mil indígenas de 200 povos presentes em Brasília até o momento. E este desafio coube aos guerreiros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia