WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

embasa nota premiada

janeiro 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


:: ‘_destaque1’

PR: Educação vai regulamentar oferta da língua indígena

Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Colégio Estadual RIo das Ostras em Nova Laranjeiras. Foto: Hedeson Alves/SEED

Regulamentação vai beneficiar 603 estudantes caingangues e guaranis matriculados em escolas estaduais e municipais não indígenas. Governo do Paraná construiu 13 novas escolas indígenas em diferentes regiões do Estado, que oferecem ensino bilíngue.

A Secretaria de Estado da Educação, por meio da Coordenação de Educação do Campo, Indígena e Cigana regulamentará a oferta da Língua Indígena nas comunidades que não possuem escola regular. Os alunos terão suas matrículas e históricos escolares registrados em uma escola base indígena próxima à comunidade em que vivem.  O projeto foi aprovado pelo Conselho Estadual de Educação por meio do Parecer nº 28/18. :: LEIA MAIS »

BA: Escola Estadual Indígena kiriri promoverá atividades Culturais ao 19 de Abril

Para celebrar o Dia no Índio, comemorado nesta quinta (19), a Estadual Indígena dos Kiriri “Índio Feliz”, do alto da Jurema na aldeia Indígena Cajazeira, município de Banzaê na Bahia. Com atividades diferenciadas que buscam valorizar e preservar alguns costumes indígenas, acontecerão em vários espaços da escola,  e conta com o total apoio da comunidade indígena da aldeia, bem como do corpo docente da escola.

:: LEIA MAIS »

RJ: Indígenas se reúnem em evento no Parque Lage

Índios dançam e cantam no Parque, no rio de Janeiro Fotos: Guilherme Pinto

O Parque Lage, no Jardim Botânico, Rio de Janeiro, se transformou em uma grande aldeia, neste final de semana. Indígenas de diferentes etnias estão reunidos no local para abrir as comemorações do Dia do Índio – festejado na próxima quinta-feira (19). O evento – que se estende durante esse domingo, das 9h às 17h – é realizado pela Associação Indígena Aldeia Maracanã (AIAM) em parceria com a Secretaria de Cultura e a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV). :: LEIA MAIS »

Estudantes indígenas vão a escolas para falar de suas lutas e cultura

Estudante universitária da UFSCar, Rosangela afirma que é cada vez maior o número de indígenas nas universidades . Foto Divulgação

Com a proximidade do 19 de abril, o Dia do Índio, as escolas e a mídia em geral voltam seus olhares aos indígenas, mas reproduzindo em muitos casos as visões do “homem branco” sobre esses povos. A começar pelos termos “índios” e “indígenas”, que tentam dar uma unidade a algo distinto, já que há atualmente 304 etnias diferentes e cerca de 280 dialetos. Se alguma coisa os une, é a visão de mundo. Para esses povos, a terra não lhes pertence, pelo contrário, eles é que pertencem à terra. :: LEIA MAIS »

MS: Minutos antes da operação, STF suspende despejo de acampamentos Guarani e Kaiowá em Caarapó

No início da manhã, o despejo ainda era tido como certo pelos indígenas do tekoha Guapo’y. Foto: Tiago Miotto/Cimi

O despejo de dois acampamentos Guarani e Kaiowá em Caarapó (MS), previsto para as primeiras horas da manhã desta segunda (9), foi suspenso por uma decisão emergencial do Supremo Tribunal Federal (STF). Minutos antes do início da operação, a Polícia Federal (PF) foi informada do seu cancelamento, em função do recurso deferido pela ministra Cármen Lúcia durante a madrugada. :: LEIA MAIS »

BA: Tupinambá bloqueiam trecho de rodovia pela demarcação da TI de Olivença

Polícia foi enviada para tentar negociar retirada dos Tupinambá do bloqueio de trecho da BR-001. Foto: Poliane Janine/Cimi

Indígenas do povo Tupinambá de Olivença bloquearam na madrugada desta segunda-feira, dia 9, trecho da BR-001, entre Ilhéus e Una, extremo sul da Bahia. As lideranças reivindicam a Portaria Declaratória da Terra Indígena Tupinambá de Olivença, cujo processo teve início em 2009 e pronta para ser publicada desde o primeiro mandato de Dilma Rousseff.  :: LEIA MAIS »

Terra Livre: O Mupoiba no Acampamento 2018 em Brasília

ATL2018

A data do Acampamento Terra Livre 2018 já está confirmada: 23 a 27 de abril, e o Movimento Unido de Organizações e Povos Indígenas da Bahia (Mupoiba), já está mobilizado para participar da 15ª edição da maior mobilização indígena do país que acontecerá em Brasília terá como mote “Unificar as lutas em defesa do Brasil Indígena – Pela garantia dos direitos originários dos nossos povos”. Caciques lideranças do movimento indígenas da Bahia, que militam no controle social do estado, participarão de atos, marchas e debates sobre temas como a demarcação de terras, a criminalização dos movimentos indígenas, as iniciativas legislativas anti-indígenas e a precarização de serviços básicos como educação e saúde.

http://Acesse aqui a convocatória da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil.

 

Acidente: Aru, jogador indígena, morre de carro no Pará

Aru era ex-jogador do Gavião Kyikatejê

Morreu, nesta sexta-feira, o atacante indígena Aru Sompré. Aos 31 anos, ele sofreu um acidente de carro em Marabá, no Pará. O jogador tinha se destacado em 2014, quando disputou a elite do Campeonato Paraense com vestimentas e pinturas de índio, atuando pelo Gavião Kyikatejê. Aru estava viajando sozinho de Marabá para Bom Jesus do Tocantins, mas bateu o carro em um caminhão na BR-222. Testemunhas relataram que o veículo do jogador ficou bastante danificado. :: LEIA MAIS »

Justiça: MPF pede anulação de parecer da AGU sobre demarcação de terras indígenas

Foto: CIMI

De acordo com a Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais do MPF a orientação normativa vinculante, aprovada pelo presidente Michel Temer em julho do ano passado, é inconstitucional. O parecer estabelece que a Administração Federal siga, em todos os processos de demarcação de terras indígenas, as condicionantes definidas pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do Caso Raposa Serra do Sol, em Roraima. :: LEIA MAIS »

Fórum Mundial da Água: Povos indígenas “ensinam” que água deve ser reverenciada

Sessão especial Culturas de Água dos Povos Indígenas da América Latina foi coordenada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).Foto:Reprodução/Agência Brasil

Tratando a água como um membro da família e como algo sagrado a ser conservado para as próximas gerações, as comunidades indígenas de países sul-americanos defenderam a preservação dos rios e montanhas e criticaram as propostas de privatização e venda de mananciais e aquíferos durante o 8.º Fórum Mundial da Água.

A brasileira Maria Alice Campos Freire, do Conselho Internacional das Treze Avós Indígenas, explicou que os povos indígenas da Amazônia sempre tiveram uma relação de respeito com a água, que é passada de geração para geração desde os ancestrais. Na educação tradicional, a água, conta, é reverenciada e, antes de se pensar no consumo, deve ser observada como algo “que devemos reverenciar”. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia