WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia



outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: ‘Entrevistas’

“O preconceito contra os índios está em todos os lugares”, diz jovem liderança indígena

a-retomadaFábio Turibo tem 20 anos e trabalha com educação em aldeias e retomadas no Mato Grosso do Sul

os 20 anos de idade, o trabalho de Fábio Turibo é viajar por aldeias e retomadas do Mato Grosso do Sul para explicar a jovens e adolescentes quais são os direitos dos índios no Brasil e quais são os projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional que ameaçam esses povos.

— A gente sempre está orientando a juventude sobre como estão os processos [de demarcação de terras], informações sobre os direitos dos povos indígenas, as leis que nos ameaçam hoje no congresso, que tramitam no STF. Trabalhamos informações com a juventude.

Fábio faz parte do movimento da juventude dos guaranis-kaiowás, o RAJ (Retomada da Aty Jovem).

Nascido em Dourados, a região mais perigosa do Brasil para os índios, ele cresceu em Rio Brilhante, 60 km mais ao norte. Lá fica a retomada Jeruvey, onde ele vive há três anos com os pais e os irmãos.

As “retomadas” são um processo iniciado nos anos 1980 em que os índios buscam reocupar seus antigos territórios ou áreas já delimitadas pela Funai (Fundação Nacional do Índio), mas ainda não homologadas pela Presidência da República. :: LEIA MAIS »

CartaCapital diz que Jucá possibilitou genocídio indígena em Rondônia

juca                                    Os Akatsu, com Konibu ao fundo   

Enquanto era presidente da Funai, Romero Jucá entregou as terras dos índios Akuntsu a seus algozes, diz sertanista

Na última quinta-feira, 26 de maio, faleceu em Rondônia o indígena Konibu, o velho líder e xamã do povo Akuntsu. Sobrevivente de um genocídio, ele já estava bastante debilitado por um câncer e problemas cardíacos, e tinha em torno de 85 anos., Morreu em paz, deitado na rede dentro da maloca onde viva, auxiliado por agentes de saúde e pelo sertanista da Funai, Altair Algayer.

Se a morte foi tranquila, no entanto, Konibu sofreu muito em vida. E parte desse sofrimento se deve a um ato político deRomero Jucá enquanto era presidente da Funai: a destinação da terra onde os indígenas vivam para fazendeiros.
Os Akuntsu, seus vizinhos Kanoê e o “Índio do Buraco” são remanescentes de três povos que sofreram…. :: LEIA MAIS »

De Roraima: primeiro reitor indígena do Brasil quer uma Universidade diversificada

RTEmagicC_reitor-roraima.jpg

Jefferson Fernandes quer aumentar o número de professores com doutorado e dar apoio a educação indígena na Universidade

O o primeiro reitor indígena do Brasil é da Universidade Federal de Roraima (UFRR). O professor-doutor em agronomia, Jefferson Fernandes do Nascimento, tomou posse do cargo em Brasília no início de março. O Portal Amazônia entrevistou o reitor por telefone para saber sobre a carreira, planos e desafios que serão trabalhados dentro da Universidade Federal de Roraima. :: LEIA MAIS »

A arte da sabedoria indígena

image

Salvino dos Santos Braz,

Para a gente ser gente, precisamos estar em equilíbrio e fazer alguma coisa a favor das plantas, das águas e do solo

LUCAS SIMÕES

Um dos maiores expoentes do povo pataxó, é também professor na Escola Indígena Bakumuxá, autor de quatro livros e canções sobre a relação do índio e do homem com a natureza. Ele apresenta show “Cantos para Alfabetizar” no 10º Festival de Verão da UFMG, dia 01 de fevereiro. Ele conversou sobre suas inspirações artísticas, a resistência indígena e a importância de suas obras terem chegado às universidades.  Leia a entrevista completa: :: LEIA MAIS »

Índios que vivem em reservas estão confinados, diz líder guarani-kaiowá

indios guarani kaiowa

Ao menos 390 indígenas foram assassinados entre 2003 e 2014 no Mato Grosso do Sul, segundo relatório do Cimi (Conselho Indigenista Missionário). O número de assassinatos é mais que a soma dos índios mortos em todo o resto do país no mesmo período (364). Para o antropólogo e professor Tonico Benites, no entanto, essa é apenas a face mais cruel da luta pela terra no Estado.

tonico benites antropologoPara Benites, as reservas criadas pelo governo são locais de “confinamento”. Guarani-kaiowá nascido na aldeia Sassoró, em Tacuru (MS) e pós-doutorando em antropologia pelo Museu Nacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), ele já foi ameaçado de morte quando fazia pesquisas na região e vê na expulsão dos índios de suas terras para essas áreas a raiz dos conflitos. A única solução, defende, é a devolução de parte do território do Estado para os indígenas.

Qual a situação dos povos indígenas no Mato Grosso do Sul?
Tonico Benites – O Mato Grosso do Sul tem a segunda maior população indígena do Brasil [em primeiro lugar vem o Amazonas]. São 77 mil indígenas, cerca de 47 mil apenas guarani kaiowá, concentrados no sul do Estado, na fronteira com o Paraguai. O principal problema é a disputa pela terra, que já é demandada há muito tempo. Frente à demora na regularização dos territórios, os indígenas reocuparam uma parte.

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia