WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

embasa nota premiada


janeiro 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


MEC aprovou a implantação do Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação Escolar Indígena

Curso de pós-graduação foi aprovado pelo MEC. Expectativa é que o primeiro edital de seleção seja lançado ainda este ano — Foto: Nailana Thiely

Indígenas terão a chance de dar continuidade aos estudos.

O Ministério da Educação (MEC), por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), aprovou a implantação do Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação Escolar Indígena na Universidade do Estado do Pará (Uepa). A expectativa é que o primeiro edital de seleção seja lançado ainda em 2018. O mestrado Indígena terá duas linhas de pesquisa: Currículo, Modos de Fazer e Avaliação em Educação Escolar Indígena, e Planejamento e Produção de Materiais Didáticos na Escola Indígena. O objetivo do programa é a qualificação profissional, em nível de mestrado, de professores e/ou graduados indígenas que tenham atuação na Educação Escolar Indígena. :: LEIA MAIS »

Projetos de mineração ameaçam terras indígenas e unidades de conservação

Amazônia Rio Coração

Por Daniel Rittner | De São Paulo/Valor

Pelo menos 5,6 mil processos de exploração mineral ameaçam atualmente unidades de conservação e terras indígenas na Amazônia Legal. São registros ativos na Agência Nacional de Mineração (ANM) e que se encontram em diferentes etapas de desenvolvimento das jazidas, entre requerimentos para pesquisa até autorizações de lavra, segundo levantamento inédito do WWF-Brasil. A quantidade enorme de sobreposições dá uma dimensão das pressões pelo redesenho das áreas protegidas e pela liberação das atividades minerárias. Hoje, qualquer iniciativa está restrita ao garimpo ilegal. O mapeamento se baseia em dados disponíveis na própria ANM, no Ministério do Meio Ambiente e na Fundação Nacional do Índio (Funai). :: LEIA MAIS »

Política: Joênia Wapichana (Rede) é eleita a primeira mulher indígena para cargo na Câmara dos Deputados

Joênia Wapichana eleita a primeira mulher indígena para cargo na câmara dos deputados

Foi eleita em Roraima a primeira mulher indígena para um cargo de deputada federal no País. Joênia Wapichana, da Rede Sustentabilidade, recebeu 8.267 votos computados até às 22h30, deste domingo, quando havia 98,21% das urnas apuradas. É a segunda vez que um indígena chega à Câmara dos Deputados. O primeiro foi Mário Juruna, pelo PDT, em 1982. Primeira mulher brasileira de origem indígena formada em Direito, Joênia Batista de Carvalho se apresenta como Joênia Wapixana, nome de sua etnia. :: LEIA MAIS »

Ilhéus: Nova entrega dos cartões do Bolsa Família será realizada nesta quinta (11)

Bolsa Familia Caixa centro de Convenções – por Secom

A Prefeitura de Ilhéus, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) e a Caixa Econômica Federal, realizará mais uma entrega dos cartões aos beneficiários do Programa Bolsa Família, na próxima quinta-feira (11), na Praça J.J Seabra, ao lado do Palácio Paranaguá, das 8 às 12 horas. Os beneficiários devem apresentar documento original com foto e comprovante de residência para a retirada do cartão.

A SDS alerta que quase 400 cartões ainda estão na Caixa Econômica Federal, devido a falhas nas informações dos respectivos endereços residenciais. Por isso, suas equipes realizam busca ativa, através de ligações telefônicas e visitas domiciliares para encontrar as famílias. :: LEIA MAIS »

BA: Sancionada lei que cria o Conselho Municipal de Trânsito e Transportes de Ilhéus

O conselho vai discutir as politicas públicas do transporte coletivo de passageiros. Foto: Ascom

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, sancionou, nesta sexta-feira (21), durante as atividades da Semana do Trânsito, a Lei nº 3.979, de 21.09.2018, que altera a Lei n° 3.730/2015 e cria o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (COMUTRAN), como órgão democrático da gestão das políticas públicas municipais de trânsito e transportes. As modificações na referida lei foram discutidas e aprovadas pela Câmara de Vereadores. O Comutran tem caráter fiscalizador, de assessoramento e deliberativo e agora amplia a participação da sociedade civil organizada. Na oportunidade, o prefeito afirmou :: LEIA MAIS »

TRE: Tocantins lança cartilhas bilíngues do projeto de Inclusão Sociopolítica das Comunidades Indígenas

TRE-TO lança cartilhas bilíngues do projeto de Inclusão Sociopolítica das Comunidades Indígenas do Tocantins

Nesta segunda-feira (24/9), o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), desembargador Marco Villas Boas, fará, durante a sessão de julgamento das 17h, o lançamento das cartilhas bilíngues do projeto de “Inclusão Sociopolítica das Comunidades Indígenas do Tocantins”. A produção gráfica conta com exemplares editados nas quatro línguas mães dos indígenas do Tocantins, Povos Meri, Yny, Panhi e Akwê (Kraô, Xerente, Apinajé e Karajá /Javaé/Xambioá), que, de forma didática, apresenta ao eleitor indígena informações importantes que lhes permitem compreender o processo eleitoral, visando a participação mais consciente e efetiva. :: LEIA MAIS »

Empresas e negócios atrasam demarcação de terras indígenas

Foto: Reprodução / A Crítica

Os ribeirinhos e índios do rio Tapajós nunca haviam topado com nada tão grande. De uma ponta até a outra, a mega draga para extrair diamante e ouro do fundo do rio ostenta uma estrutura metálica de cerca de 120 metros, extensão ao menos duas vezes maior do que as demais embarcações do tipo operando na região. Batizado de Santa Clara 1, o monstrengo pertence ao empresário israelense Leo Steiner e foi construído sob medida para operar no trecho mais profundo do rio, localizado diante da Terra Indígena (TI) Sawré Muybu, da etnia mundurucu. :: LEIA MAIS »

Chapada dos Veadeiros recebe evento com vivência de cultura indígena

Um grupo de representantes do povo Xavante foi convidado para falar de seus valores e tradições – Fotos: Marcelo Santos Braga

A Aldeia Multiétnica, na Chapada dos Veadeiros (GO), vai receber uma vivência do povo Xavante em outubro. O evento, cujo objetivo é mostrar os valores e tradições A’uwe, vai contar com representantes de um grupo indígena da Aldeia Ripá (MT). A cultura A’uwe é baseada nos sonhos e acredita-se que, por meio deles, os participantes da tribo recebem orientações e outros tipos de mensagens. Quem decidir ir ao evento vai conhecer esse lado espiritual dos Xavante e pode fazer parte de atividades como cantos tradicionais, pinturas corporais, busca por plantas medicinais e conversas sobre sonhos. :: LEIA MAIS »

Seminário Político reúne jovens e adolescentes da Aldeia dos Pataxó HãHãHãe, no Sul da Bahia

Além de motivar reflexões, o seminário ampliou o debate com base no conteúdo abordado na revista Mensageiro, publicada pelo Cimi Regional Norte II, em fevereiro deste ano, com o tema “2018 – Aldeia na Política”.

Fotos: Equipe Sul e Extremo Sul da Bahia, Cimi Regional Leste

Cerca de 200 jovens e adolescentes da  participaram, no dia 19 de setembro, no município de Pau Brasil (Sul da Bahia), do Seminário Político “Aldeia na Política de Forma Consciente”. O evento realizado pela a direção e 12 professores da Escola Estadual Indígena Caramuru Paraguaçu, contou com a assessoria da Equipe sul e extremo sul da Bahia do Conselho Indigenista Missionário – Cimi Regional Leste e apoio do cacique Gerson Melo, como forma de combater a desinformação e desmotivação de jovens e adolescentes da Aldeia. Além de motivar reflexões, o seminário ampliou o debate com base no conteúdo abordado na revista Mensageiro de fevereiro deste ano, com o tema “2018 – Aldeia na Política”, publicada pelo Cimi Regional Norte II. :: LEIA MAIS »

EL PAÍS: “Brasil é, de longe, o país mais perigoso para os defensores dos direitos indígenas”

Relatora especial das Nações Unidas sobre os direitos dos povos indígenas, Victoria Tauli-Corpuz, durante reunião na Serra do Padeiro, em 2017.

Informe da ONU sobre direitos dos povos tradicionais no mundo denuncia que país, ao lado de Colômbia, México e Filipinas representam 80% das mortes de defensores indígenas

“Infelizmente, não posso, não posso nomear nenhum país que esteja dando proteção real aos povos indígenas”. Não se trata de uma opinião qualquer. Vem dos lábios de Victoria Tauli-Corpuz, a relatora especial da ONU para os direitos dos povos indígenas. Ela antecipou suas impressões durante uma entrevista no Fórum de Florestas de Oslo, realizado em junho. Agora ela as colocou por escrito e divulgou nas páginas de seu relatório anual sobre a situação desses povos. Sob o título Eles Deveriam ter Sabido Antes, a relatora denuncia que Governos e empresas em todo o mundo estão tornando cada vez mais difícil e letal a proteção das terras e florestas pelas comunidades indígenas. Elas possuem tradicionalmente mais de 50% do território mundial, mas só têm direitos legalmente reconhecidos em 10%, algo que dá liberdade aos governos para declará-los ilegais em terras que têm sido seus lares há gerações. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia