Famílias no cerrado baiano desenvolveram um jeito de viver do cerrado.

A pequena cidade de Correntina, no oeste baiano, ganhou o noticiário nacional em novembro de 2017, no Dia de Finados. Indignados com a ameaça de sumiço do rio Arrojado, mais de mil camponeses decidiram colocar fogo nas bombas que puxam água do rio para irrigar a fazenda Igarashi, com 2.539 hectares de plantação de feijão e outros cultivos. A resposta do estado da Bahia foi rápida, com a criação de uma força-tarefa para encontrar culpados pelo levante. A fazenda Igarashi enviou carta aos órgãos públicos em que reforçava a necessidade de punição aos “planejadores e financiadores da invasão”, como demonstração de que “o Estado da Bahia é seguro para se empreender e produzir de forma sustentável” LER MATÉRIA COMPLETA AQUI