WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

embasa sesab bahia


outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Minas tem somente um candidato a prefeito de origem indígena em 2020

images

“É uma participação pequena, nossa representação política ainda é muito elitista, com pouco espaço para mulheres, negros e, ainda mais, indígenas”, observa o professor de ciência política Carlos Ranulfo, da UFMG, que destaca a presença marcante da deputada federal Joenia Wapichana (Rede-RR) como representante indígena no Congresso Nacional.

:: LEIA MAIS »

Foi morando com índios que Giovani aprendeu lições de uma vida inteira

Nas aldeias, Giovani já morou e lecionou para mais de 5 etnias diferentes (Foto: Arquivo Pessoal)

Destaque no sábado ao contar sua história de vida no Caldeirão do Huck, o professor universitário faturou prêmio de R$ 300 mil.

“Em Porto Murtinho que passei a conviver efetivamente com os indígenas. Parei de fazer o trajeto cidade-aldeia, e morei quase 8 anos da minha vida com os Kadiwéu. Essas pessoas tem muito a nos ensinar. Seus conhecimentos ancestrais que fogem do alcance da racionalidade puramente científica. Com eles, aprendi a ser mais solidário, a pensar no coletivo, a ser menos competitivo”. :: LEIA MAIS »

Ilhéus: Deputada Alice Portugal apoia candidatura do indígena Cláudio Magalhães

Alice Portugal deputada federal, publicou um vídeo onde pedi voto para o indígena Cláudio Magalhães  Tupinambá de Olivença, que é professor e funcionário do judiciário daquela cidade,  e militante no movimento em defesa dos povos tradicionais, além de grande atuação no controle social do município.
Com o mandato atuante em defesa dos povos indígenas na Câmara dos Deputados, a parlamentar reconhece a luta de Cláudio em defesa dos povos indígenas da Bahia, onde também ele é liderança estadual do movimento.

:: LEIA MAIS »

AM: Oposição pede comissão para averiguar situação dos povos indígenas

INDIA-min-e1602111342540

Liderados pela deputada de origem indígena Joenia Wapichana (Rede-RR), parlamentares do PT, PSB, PDT, PCdoB, Rede e PSOL, deram entrada na Câmara dos Deputados num pedido para a criação de uma comissão externa a fim de acompanhar a situação dos povos indígenas durante a epidemia do coronavírus.

“A pandemia do novo coronavírus ainda continua no Brasil e afeta milhares de brasileiros, incluindo os povos indígenas que sofrem os impactos em seus territórios e no contexto urbano”, afirmou Joenia Wapichana (foto). :: LEIA MAIS »

Funai e o descaso com os índios isolados

Fachada do prédio da Funai em Brasília – Mário Vilela/Funai/Divulgação

Fundação ignora reclamações, desmonta equipes de índios isolados e aumenta insatisfação de servidores com a gestão de Marcelo Xavier

Por Matheus Leitão

Enquanto diversos povos indígenas sofrem para tentar se proteger em meio à pandemia do coronavírus que assola o país, a forma como a atual gestão da Fundação Nacional do Índio (Funai) lida com os índios isolados, os mais vulneráveis neste momento, continua sendo alvo de reclamações dos servidores e coordenadores do órgão. A presidência da Funai, liderada por Marcelo Xavier, ignora pedidos contra exonerações, desmonta equipes experientes e aumenta as críticas internas. :: LEIA MAIS »

Índio morre após picada de cobra; povo Kumaruara denuncia falta de assistência

1_ejlgyn8woaa1r1f-6326490

Nas redes, indígenas compararam a situação com o Caso da Naja de Brasília, em que o soro importado foi transferido de São Paulo rápido o suficiente para salvar a vida do jovem acusado de tráfico de animais

Indígenas do povo Kumaruara denunciaram negligência na morte de um índio em Santarém, no Pará, por meio de uma carta divulgada nas redes sociais, nesta segunda-feira (5/10). Alberto Castro Bispo morreu no domingo (4/10) após uma picada de cobra. Segundo a carta, o atendimento médico ao indígena demorou quase o dia inteiro.

:: LEIA MAIS »

Entenda o caso de repercussão geral no STF que pode definir o futuro das terras indígenas do Brasil

Lideranças indígenas Tupinambá acompanham todas as ações de defesa do território

Com julgamento marcado para dia 28 de outubro, STF pode decidir demarcações no mês de aniversário da Constituição

Num contexto em que ataques do governo federal ameaçam os direitos indígenas e, no legislativo, projetos e bancadas contrários aos povos indígenas se sobressaem, os olhares e as esperanças de garantir que os direitos constitucionais dos povos originários não sejam desfigurados se voltam ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em 2019, o STF reconheceu a repercussão geral do Recurso Extraordinário (RE) 1.017.365, caso que discute uma reintegração de posse movida contra o povo Xokleng, em Santa Catarina. Isso significa que a decisão tomada neste julgamento, marcado para iniciar no dia 28 de outubro, terá consequências para todos os povos indígenas do Brasil. :: LEIA MAIS »

BA: Palestra no Hospital Regional Costa do Cacau aborda saúde mental do trabalhador

De acordo com informações publicadas no site da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMAT), o número de pessoas que tem a saúde mental afetada, durante as epidemias, tende a ser maior que de indivíduos acometidos pela infecção, podendo durar mais tempo e com maior prevalência. Diante disso, é indicado que as empresas busquem a manutenção do bem-estar dos trabalhadores para garantir a sustentabilidade de seus serviços e negócios.

:: LEIA MAIS »

Rosto de indígena que viveu há 2 mil anos em Pernambuco é reconstituído

india-3-

Pesquisadores reconstituíram pela primeira vez o rosto de uma indígena que viveu há 2 mil anos no Brasil, a partir do crânio encontrado no Agreste de Pernambuco. A mulher pertenceu a um grupo nômade e tinha idade entre 15 e 18 anos, de acordo com os cientistas.

Considerada parente mais antiga dos pernambucanos, a índia viveu no município de Brejo da Madre de Deus. A face foi reconstituída pelo designer Cícero Moraes, que mora em Sinop (MT). :: LEIA MAIS »

Educação: Há três vezes mais negros e indígenas sem aula na pandemia do que brancos

a-saude

Pesquisa feita com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica um fosso entre estudantes brancos e não brancos, matriculados nas redes pública ou privada, durante a pandemia. Com a suspensão das aulas presenciais, 4,3 milhões de alunos negros, pardos e indígenas ficaram sem nenhuma atividade escolar. Já entre os brancos, o número gira em torno de 1,5 milhão (veja os números, estado por estado).

Os dados são de levantamento feito pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e pela Rede de Pesquisa Solidária, a partir de informações da Pnad-Covid do IBGE. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia