jogos

Começam hoje(01)  e vai até amanhã (2) os jogos estudantis do Povo Pataxó Hãhãhãe de Pau Brasil

Indígenas da região do município de Pau Brasil, região Sul do Estado, irão participar de mais uma edição dos Jogos Indígenas Estudantis do Povo Pataxó Hãhãhãe, que nos acontecerá dias 1 e 2 de maio, a partir das 10h, no Colégio Estadual Indígena Caramuru Paraguaçu, na aldeia indígena Catarina Paraguaçu, em Pau Brasil.

A cada ano a realização dos jogos indígenas é consolidada na região. O evento envolve diretamente estudantes, lideranças e anciões indígenas, promovendo um conjunto de integração e a socialização do pensamento e visão indígena acerca da nossa verdadeira história. Na Bahia são vários povos indígenas, que lutam para manter seus costumes, usos e tradições.

Além dos jogos, o projeto envolve Oficina de Adereços Indígenas do Povo pataxó hã hãhãe, inspiradas nos Jogos dos Povos Indígenas da Comunidade e realização de Toré mantendo a tradição religiosa e cultural.

Para o evento, será montada uma  equipe de apoio para a realização das oficinas e para organização dos jogos que acontecerá no campo da aldeia conforme feito em anos anteriores, levando em consideração os protocolos sanitários e decretos existentes relacionados à pandemia de covid-19.

O objetivo geral do projeto é realizar ações de preservação cultural, esportiva e religiosa voltada aos estudantes indígenas da reserva indígena Caramuru-Paraguaçú com participação de indígenas de outras aldeias da Bahia no incentivo prático de seus esportes tradicionais, de seus rituais, artesanatos e pintura corporal, por meio das oficinas de adereços e pintura para os estudantes para uso durante os jogos indígenas da comunidade; promoção de ato religioso e cultural indígena “Toré“ na preservação da sua identidade e a realização dos jogos tradicionais já existentes na comunidade por vários anos.

Sobre a Reserva Indígena

Habitam a Reserva Indígena Caramuru-Paraguassu, no sul da Bahia, nos municípios de Itajú da Colônia, Camacã e Pau-Brasil. Eles vivem também na Terra Indígena Fazenda Baiana, no município de Camamu, no baixo-sul da Bahia. Segundos dados, a população da Reserva Indígena Caramuru-Paraguaçu compreendia, em 2005, 2.147 indivíduos, sendo 1.139 homens e 1.008 mulheres. Já os habitantes da Fazenda Baiana somavam 72 pessoas (33 homens e 39 mulheres). Os dois conjuntos populacionais totalizavam 2.219 pessoas. Hoje os dados são de mais de 4.000 povos na reserva indígena.

Sobre o Toré

Trata-se de um ritual de possessão, mediante o qual os encantos ou encantados, mestres encantados, entidades sobrenaturais consideradas benéficas se manifestam, e que, em geral, é realizado para introduzir qualquer atividade considerada socialmente significativa, sendo o mais relevante ritual da reserva. Dele participam homens e mulheres, que fazem uso do fumo, mediante cachimbos, apenas evocada pelos cânticos entoados.

O projeto é uma realização da Associação solidária Aldeias do Tupinambá. O projeto tem apoio do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do Centro de Culturas Identitárias-CCPI (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Da Redação